Saúde e Bem Estar

Melanoma: o Câncer de Pele que pode Matar, Prevenção, Tratamento, Cura

Melanoma: o Câncer de Pele

melanoma

O Melanoma maligno é um câncer de pele que, embora seja raro, está entre as doenças mais graves que existem. Originado nas células que dão a pigmentação da pele, os melanócitos, ele afeta mais mulheres e pessoas com a pele clara apresentam maior risco.

A faixa etária mais afetada é entre 40 e 60 anos, sendo que a doença é também frequente em adultos jovens. Entre os fatores de risco estão: a exposição intermitente ao sol, aquela que acontece algumas vezes no ano e vai se acumulando ao longo de toda a vida, e a realização de bronzeamento artificial.

A genética também pode influenciar no aparecimento da neoplasia, especialmente em quem teve parentes de primeiro grau com melanoma em idades precoces. Ele pode aparecer como uma lesão nova ou se manifestar em nevos (as famosas pintas) pré-existentes, o que torna necessário que se realize inspeções frequentes e consulte o dermatologista sempre que encontrar uma lesão de pele suspeita.

Sintomas do melanoma

Os médicos costumam falar no ABCDE do melanoma. Esse mnemônico reúne as principais características do melanoma, que são:

  • A = assimetria da lesão
  • B = bordas irregulares
  • C = cor variável
  • D = diâmetro superior a 6 mm
  • E = evolução da lesão, com alterações do tamanho, forma, coloração entre outros.

abcde-melanoma

Prevenção

A melhor forma de prevenir o melanoma é evitar a exposição solar sem uso de protetores solares e em horários de alta incidência de raios UVA e UVB. Mesmo durante viagens e passeios, evite estar exposto ao sol entre as 10h e 15h. Se necessário, use protetores solares de fator 30 ou melhor ainda, fator 50.

Tratamento do melanoma

Para que se possa iniciar o tratamento, é preciso confirmar o diagnóstico de melanoma através de uma biópsia excisional. Havendo confirmação de câncer, pode ser feita uma ampliação da remoção das bordas da lesão, que dependendo do tamanho pode tornar necessária uma reconstrução posterior com uso de enxertos de pele.

Se a doença já tiver se disseminado sistemicamente, com metástases, pode ser necessária a realização de tratamento quimioterápico ou radioterápico, de acordo com a indicação do médico oncologista.

Cura

Os melanomas superficiais e de diagnóstico precoce podem ser curados. As  lesões mais profundas têm menor possibilidade de cura e as doenças disseminadas muitas vezes são fatais.

Mas e você, o que achou das dicas que nós separamos sobre o Melanoma? Elas te ajudaram a se prevenir e evitar a doença? Deixe o seu comentário aqui no blog Essas e Outras.

Comente Via FaceBook

Comentários


Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.