Saúde e Bem Estar

Cetoacidose Diabética: O que É, Causas, Sintomas, Tratamento e como Evitar

O que é Cetoacidose Diabética

tudo-sobre-cetoacidose-diabética-causas-tratamento-como-evitar


O Diabetes é uma doença que cada vez mais acomete jovens, adultos e pessoas da terceira idade em todo o mundo, sendo considerada uma das principais causas de morte por doença crônica em grande parte dos países. O que muita gente não sabe é que essa doença pode causar complicações agudas e crônicas, sendo a Cetoacidose diabética uma delas. Por isso neste post nós resolvemos explicar quais são os seus sintomas, o que a causa e como prevenir episódios como esse. Confira:

O que é Cetoacidose Diabética?

A cetoacidose diabética é uma complicação aguda do Diabetes mellitus tipo 1. Ela só acomete quem tem deficiência na produção de insulina, resultando de um aumento intenso de glucagon na ausência de quantidades suficientes de insulina no organismo. Isso faz com que o corpo reaja liberando os estoques de glicose na corrente sanguínea, produzindo glicose no fígado e fazendo cetoadose, o que produz boa parte dos sintomas e leva à desidratação.

Causa da Cetoacidose Diabética

As causas mais comuns de cetoacidose diabética são transgressão alimentar (o consumo de uma quantidade de açúcares acima do permitido), estresse e omissão de insulina. Essas três situações fazem com que haja uma quantidade insuficiente do hormônio insulina no corpo, o que permite que o seu antagonista glucagon seja secretado em altas quantidades e leve à complicação. 

Sintomas

O quadro clínico da cetoacidose diabética inclui os seguintes sinais e sintomas: 

  • poliúria (urinar muito) e polidipsia (beber muita água);
  • perda de peso;
  • fraqueza;
  • turvação visual;
  • respiração acidótica (Kussmaul);
  • hipotermia;
  • confusão mental;
  • dor abdominal;
  • náuseas;
  • vômitos;
  • coma (10% dos casos);

Além do quadro clínico o portador de cetoacidose diabética por apresentar alterações laboratoriais como: sódio normal ou diminuído, potássio normal ou aumentado, pH baixo e bicarbonato baixo.

Tratamento da Cetoacidose Diabética

O tratamento desta complicação deve ser feito por meio da reposição hídrica e de eletrólitos para contole da desidratação e dos distúrbios hidroeletrolíticos. Além disso deve ser feita insulinização, de modo a controlar a hiperglicemia e inibir a ação do glucagon no organismo. 

Prevenção

A melhor forma de um portador de Diabetes tipo 1 prevenir a cetoacidose é manter um bom controle da glicemia, com alimentação pobre em açúcares e carboidratos e uso regular de insulina ou/e medicação hipoglicemiante. Deve-se evitar também extresse e estar atento para possíveis alterações na dose necessária de insulina em situações como infecções, gestações e uso de corticoides sistêmicos. Para saber mais, informe-se com o seu médico! 

Mas e você, o que achou das informações que nós separamos sobre a Cetoacidose Diabética? Elas e ajudaram a entender melhor essa complicação e a evitá-la? Deixe o seu comentário aqui no blog Essas e Outras.

Comente Via FaceBook

Comentários


Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.